Cedido ao Corinthians até dezembro, Isaac culpa lesões por falta de chances

– É melhor estar preparado e não jogar do que jogar e não estar preparado.

É com essa frase motivacional na cabeça que o atacante Isaac Prado, de 21 anos, vai trabalhar todos os dias no CT do Corinthians. Prejudicado por duas lesões na temporada, o jogador não conseguiu ficar à disposição de Tite nos primeiros campeonatos do ano. Agora, bem fisicamente, completa treinos junto dos outros jogadores, mas sem grandes perspectivas de vestir a camisa em jogos oficiais.

– Por mais que amanhã ou depois eu não esteja mais no Corinthians, tenho de estar preparado. Não sei se vou continuar ou sair. Jogador tem de estar atuando. Pode ser que eu vá para outro clube onde alguém veja mais meu potencial e posso dar certo. Tenho de me preparar – destacou ele, que está emprestado ao Timão até dezembro.

Vice-campeão da Copa São Paulo de 2015 como um dos artilheiros, o atacante foi cedido pelo Botafogo de Ribeirão Preto em agosto do ano passado. No sub-20, participou do título paulista, subindo ao elenco profissional em janeiro. Levado por Tite para o Torneio da Flórida, sofreu lesão muscular na coxa direita, perdendo a chance de estrear no amistoso contra o Strikers, quando só reservas jogaram.

– Fiquei chateado. Love tinha acabado de ir embora e só tinha Danilo e Romero de atacantes, e eles não são centroavantes de característica. Estava treinando bem, mas a lesão me prejudicou. Antes dela algumas pessoas me elogiavam, diziam que eu estava vindo bem –  lembrou.

A primeira lesão tirou de Isaac a chance de ser inscrito no Paulistão e na Libertadores. Tão logo se recuperou, um novo problema médico o prejudicou novamente. Desta vez, rompeu os ligamentos do tornozelo direito durante um treino. No mês passado, voltou a realizar treinos no campo com a preparação física. Recuperado, agora integra os treinos principais com o grupo.

Mesmo se não receber chances de Tite, diz que está satisfeito com o aprendizado do dia a dia.

– Assinar com o Corinthians foi uma alegria muito grande, deixei meus pais realizados. Queria estar atuando, mas estou em um dos maiores clubes do Brasil, independe se joguei ou não. É uma experiência que me faz crescer muito como profissional e pessoa. Isso tudo vai acrescentar muito na minha carreira. Estou no meio de multicampeões, jogador de seleção brasileira, de seleção paraguaia, com o melhor treinador do Brasil. Chegar aqui foi um passo muito grande.

Com Luciano titular, Tite conta hoje com André como principal opção de referência no ataque. Além dele, tem Lucca, Marlone, Romero e Rildo como alternativas de jogadores de velocidade.

 

Voltar