Sem estrear, Isaac vira opção caseira de goleador no Corinthians

Alexandre Pato chegou e saiu, Luciano não agradou e André ainda enfrenta bastante resistência da torcida corintiana. A princípio, os dois últimos são os nomes de centroavantes com os quais Cristóvão Borges terá de encarar o restante do Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil. Porém, com boa participação em treinos e amistosos, o garoto Isaac, que ainda não estreou no profissional, passou a ser uma opção considerada pelo técnico.

Contratado no ano passado após boa campanha com o Botafogo-SP na Copa São Paulo de Futebol Júnior, o centroavante não foi aproveitado por Tite durante a temporada. Neste ano, com a saída de Vágner Love, parecia perto de receber uma chance, mas dificilmente foi relacionado para os jogos. O panorama passou a mudar, no entanto, com a chegada de Cristóvão.

Ainda funcionando apenas como terceira opção, Isaac já ouviu diversas vezes o treinador dizer que vai dar chances para todos os jogadores do elenco. Na posição de centroavante, por exemplo, ele já testou Ángel Romero, em sua estreia, depois deu uma sequência de quatro jogos a Luciano, sacado para a improvisação de Danilo frente ao São Paulo. Por fim, André teve a oportunidade contra o Figueirense e deve ser mantido contra o Inter .

O garoto de 21 anos, entretanto, mostrou bom posicionamento e faro de gol nas chances que teve. No jogo-treino contra o time sub-20, há três semanas , no CT Joaquim Grava, deu uma assistência quase deixou o seu com menos de 15 minutos em campo. Já na última terça, diante do Juventus, ganhou meia hora em campo e foi o autor do terceiro gol no amistoso contra o time da Mooca.

"Olha, a gente tem uns atacantes muito competentes. Falava-se muito do Love, mas depois foi o cara que nos momentos decisivos, decidiu. Tem o André, que foi campeão em outras equipes, Luciano que foi bem quando precisou. Tem o Isaac que é da base, na base sempre foi artilheiro, vai ter sua chance aqui", analisou o goleiro Cássio, fazendo questão de dividir a responsabilidade de fazer gols entre todos.

"A gente confia nesses jogadores. O Love foi o artilheiro no ano passado, mas o Jadson fez muito gol também. Acho que distribuiu bem. Todo mundo vai bem, o esquema ajuda. O mais difícil para fazer gol sou eu (risos)", avaliou. "Todo mundo tem essa responsabilidade, atacante vai ser mais cobrado, mas temos que dividir essa cobrança", concluiu o arqueiro.

Com 30 pontos conquistados nos 16 jogos do Campeonato Brasileiro realizados até o momento, o Alvinegro está dois pontos atrás do Palmeiras, líder da competição. Contra o Internacional, neste domingo, às 16h (de Brasília), o time vai a campo com Cássio; Fagner, Yago, Balbuena e Uendel; Bruno Henrique, Elias, Romero, Giovanni Augusto e Marquinhos Gabriel; André.

 

Voltar